Sentimento de Leitor

Juramos solenemente fazer boas recomendações
Imagem da Thumbnail para A Mulher na Janela
Resenhas

A Mulher na Janela

11 jun 19 3 mins. de leitura
por Mandy Ariani
Esta publicação é fruto de uma PARCERIA

publicidade

Título A Mulher na Janela
Autor(a) A. J. Finn
Tradutor(a) Marcelo Mendes
Editora Arqueiro
Páginas 352
Ano 2018
Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle? Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece.

A Mulher na Janela é um thriller psicológico que, desde o seu lançamento, gerou muita comoção entre o público. Inclusive, o livro já garantiu uma adaptação cinematográfica que deve estrear ainda esse ano. O romance de estreia de A. J. Finn mexe com a cabeça dos leitores, nos convidando a tentar desvendar o que está acontecendo. Será que você consegue?!

A trama gira em torno da Dra. Anna Fox, uma psicóloga infantil que, após uma experiência traumática, desenvolveu uma síndrome que faz com que ela seja incapaz de sair de sair de casa.  Portanto, Anna passa seus dias assistindo filmes antigos, bebendo – muito – vinho, conversando com estranhos na internet e, claro, acompanhando a vida de outras pessoas – principalmente a de seus vizinhos.

Separada do marido e da filha, Anna acaba se interessando pelos Russells, a nova família aparentemente perfeita que se mudou para o seu bairro. Logo, ela passa a espionar a rotina deles, que não tem nada de excepcional. Porém, certa noite, Anna acaba presenciando algo chocante que promete mudar a sua vida para sempre. Mas será que ela é mesmo tão confiável quanto acha que é? Será que aquilo realmente aconteceu?

Qual será o problema dessa casa? E nela que o amor se instala para morrer.

Sem dúvidas, A Mulher na Janela é um suspense muito bem construído, no qual nenhuma informação que aparece é por acaso. Dá para ver que A. J. Finn pensou em todos os detalhes, originando uma trama capaz de envolver, confundir e deixar qualquer leitor vidrado. Aliás, é válido lembrar que recentemente descobriram que a vida do autor desse thriller é tão obscura quanto sua própria história. Para saber o porquê, confira esse artigo.

© Material de divulgação passível de direitos autorais.

Resenha a mulher na janela

® Relate qualquer abuso de Uso Indevido de Imagem clicando aqui.

A Mulher Na Janela (Woman in the Window), com Amy Adams deve chegar aos cinemas em outubro 2019.

Logo nas primeiras páginas de A Mulher na Janela, o leitor se vê completamente envolvido por esse enredo. E a narração em primeira pessoa torna tudo ainda mais perturbador e tangível. No entanto, é válido ressaltar que, embora a protagonista evoque a nossa empatia graças à sua síndrome, sua personalidade não é das melhores. Definitivamente, Anna não é um tipo de heroína criada para conquistar a afeição do leitor. Na realidade, é notório que o propósito do escritor, muitas vezes, é justamente nos fazer questioná-la.

publicidade

Muitos de nós – os casos mais graves de estresse pós-traumático – não conseguimos sair de casa, precisamos nos esconder da bagunça do mundo, da massa do mundo. Alguns têm pavor de gente, outros, da desordem do trânsito. Para mim, o problema está na vastidão do céu, na desmesura do horizonte, no simples fato de estar exposta à pressa acachapante da vida ao ar livre.

A trama de A. J. Finn é sensacional e traz muitos tópicos além do suspense. Nesse contexto, também aparecem na narrativa assuntos como: alcoolismo, agorafobia, violência contra a mulher e a importância do acompanhamento psicológico. Sendo assim, temos um cenário rico e recheado de discussões importantes.

Com uma narrativa super fluida, reviravoltas impressionantes e atenção aos mínimos detalhes, A Mulher na Janela se configura como um thriller capaz de manter os leitores ansiosos até o seu final. A partir de certo ponto, tudo começa a se conectar e a tensão chega ao seu ápice. Com certeza, esse livro foi um dos melhores do seu gênero lançados em 2018. Conquistando, inclusive, elogios de autores prestigiados como Stephen King, Gillian Flynn e Joe Hill.

Como médica, digo que o paciente precisa estar num ambiente que ele seja capaz de controlar. Essa é a minha avaliação clínica. Como paciente, digo que a agorafobia não veio para destruir minha vida: ela agora é a minha vida.

Os coadjuvantes também foram muito bem utilizados nessa narrativa, principalmente, por nos fazer entender como a Anna Fox vive com sua síndrome. Até o final, nós vemos que nada – e nem ninguém – é o que parece. Então, se você quer se deliciar com uma trama muito bem construída, com um desfecho surpreendente e sem furos, esse livro é para você!

Comentários

O blog Sentimento de Leitor disponibiliza o espaço do DISQUS para comentários e discussões dos temas apresentados no site, não se responsabilizando por opiniões, comentários e mensagens dos usuários sejam elas de qualquer natureza. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Compartilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas. Leia aqui os Termos de Uso e Responsabilidade .

A estrutura do site, bem como os textos, os gráficos, as imagens, as fotografias, os sons, os vídeos e as demais aplicações informáticas que os compõem são de propriedade do "Sentimento de Leitor" e são protegidas pela legislação brasileira e internacional referente à propriedade intelectual. Qualquer representação, reprodução, adaptação ou exploração parcial ou total dos conteúdos, marcas e serviços propostos pelo site, por qualquer meio que seja, sem autorização prévia, expressa, disponibilizada e escrita do site, é vedada, podendo-se recorrer às medidas cíveis e penais cabíveis. Leia aqui os Termos de Uso e Responsabilidade .

publicidade

quem escreve?

Mandy Ariani

Olá, eu me chamo Mandy! Sou apaixonada por livros, filmes, mangás e Jane Austen. Se você quer ficar por dentro do universo geek e literário, visite a gente!

colaboradores

publicidade

para te inspirar

Palavras são, na minha nada humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia. Capazes de formar grandes sofrimentos e também de remediá-los.

J. K. RowlingHarry Potter, 1997-2007.

os mais lidos do blog

editoras parceiras

2019

resenhas as mais recentes

Instagram@sentimentodeleitor