Sentimento de Leitor

Juramos solenemente fazer boas recomendações
Imagem da Thumbnail para Uma Loucura e Nada Mais
Resenhas

Uma Loucura e Nada Mais

18 set 19 5 mins. de leitura
por Juliana Sandis
ATENÇÃO: Esse artigo poderá conter alguns spoilers

publicidade

Título Uma Loucura e Nada Mais
Autor(a) Mary Balogh
Tradutor(a) Lúcia Brito
Editora Arqueiro
Páginas 272
Ano 2019
Depois de sobreviver às guerras napoleônicas, Sir Benedict Harper está lutando para seguir em frente e retomar as rédeas de sua vida. O que ele nunca imaginou era que essa esperança viesse na forma de uma bela mulher, que também já teve sua parcela de sofrimento. Após a morte do marido, Samantha McKay está à mercê dos sogros opressores, até que planeja uma fuga para o distante País de Gales para reivindicar uma casa que herdou. Como o cavalheiro que é, Ben insiste em acompanhá-la em sua jornada. Ben deseja Samantha tanto quanto ela o deseja, mas tenta ser prudente. Afinal, o que uma alma ferida pode oferecer a uma mulher? Já Samantha está disposta a ir aonde o destino a levar, a deixar para trás o convívio com a alta sociedade e até mesmo a propriedade que é sua por direito, por esse belo e honrado soldado. Mas será que, além de seu corpo, ela terá coragem de lhe oferecer também seu coração ferido? As respostas a todas as perguntas talvez estejam em um lugar improvável: nos braços um do outro.

Uma Loucura e Nada Mais é o terceiro livro da série de romance de época Clube dos Sobreviventes. Pode ser lido fora da ordem, sem grandes problemas além de spoilers dos casais anteriores.  Nesse livro, temos um veterano de guerra machucado tanto física quanto psicologicamente pelas coisas que enfrentou. Sir Benedict Harper teve as pernas esmagadas durante a batalha e só não teve os membros amputados por pura insistência própria.

Apesar de ter sobrevivido e conseguido retomar uma parte do movimento das pernas, Ben ainda precisa das muletas e sofre com dores constantes. É bonito e triste ao mesmo tempo ver o quanto ele se esforça para voltar a ser o homem que era antes da guerra, entretanto, sua determinação tanto faz com que ele enfrente o dia a dia, quanto atrapalha que ele aceite sua nova realidade como uma pessoa deficiente. É assim que o encontramos no início da trama: postergando tomar as decisões que precisa enquanto passa alguns dias com a irmã em outra cidade. 

Samantha, por sua vez, é uma mulher que enfrentou as consequências da guerra sem ter que sair de casa: durante anos ela cuidou do, agora falecido, marido ferido em batalha. Nesse tempo a vida de Samantha se resumiu a cuidar do marido, sem nenhum tempo para pensar em si mesma. E nem como viúva ela consegue a liberdade para viver como deseja, pois os sogros extremamente rígidos permanecem em sua cola, muitas vezes impedindo até que ela saia de casa.  

Costumamos presumir que a vida é muito mais fácil para os outros do que para nós mesmos – disse ele. – Suspeito que raramente seja. Eu diria que a vida não foi feita para ser fácil.

 

Samantha é vizinha da irmã de Benedict e os dois começam uma amizade no passar de alguns dias. Por isso que, quando Samantha revela que deseja fugir do controle dos sogros para procurar por uma casa que herdou no País de Gales, o cavalheiro em Ben não vê outra alternativa a não ser acompanhá-la e cuidar de sua segurança. Mesmo que uma viagem tão distante se torne um verdadeiro martírio para Ben, que além das dores infinitas pelo corpo, ainda precisa lidar com o desejo que sente por ela.  

Tanto a viagem, quanto o destino reservam muitas surpresas para a vida desses dois. Eles aprendem muito um com o outro, formam uma amizade linda antes de se envolverem romanticamente e quando ficam juntos esbanjam fofura. Acredito que algumas coisas poderiam ser menos enroladas entre eles, mas no final ver o quanto eles crescem com as dificuldades também valeu a pena.

O que aconteceu com você foi feio, mas você não é. Considero você o homem mais forte e corajoso que já conheci. Sei que é o mais adorável. Você tem que acreditar em mim.

Mary Balogh se destaca por seus livros que retratam muitas coisas fora do comum no escopo dos romances de época, como deficiências, diferentes origens e faixas de idade; e também por gostar de explorar os sentimentos dos personagens a fundo. Por isso é fácil se conectar com os personagens criados, se sentir tocado pela história deles e desejar que tudo fique bem.

A escrita da autora também é bastante descritiva, e portanto um pouco mais lenta, e o enredo foca nas dificuldades pessoais dos personagens e na construção e realização do amor entre eles. Eu mesma gosto muito da parte do romance, entretanto – e isso não desqualifica o livro, é apenas uma preferência pessoal – também gosto de esperar por algo a mais enquanto leio, seja um segredo ou apenas algo que me surpreenda – o que não é o caso da maioria dos livros da Mary.  Ou seja, é um ótimo livro para quem gosta de uma linda história de amor, mas um pouco monótono para quem gosta de ação constante.

Por outro lado, o livro também é cheio de trechos com reflexões bonitas. Eu trouxe apenas algumas aqui, mas poderia fazer uma postagem inteira com a quantidade de frases que marquei. Sem dúvidas, vale a pena conferir!

publicidade

Mas em algum lugar, em algum lugar, há paz. E nem é um lugar distante. Esse lugar está bem dentro de nós, sempre presente, na verdade, apenas esperando olharmos para dentro para encontrá-lo.

+Bônus

Conto: O Pretendente

Julian Crabbe está desesperado para salvar a mulher por quem se apaixonou dois anos atrás. Na época ele era um jovem inconsequente e merecia o desprezo dos pais de Philippa. Mas, agora tem todos os predicados de um pretendente adequado e está determinado a provar isso antes que seja tarde demais.

Invadir a festa na propriedade do visconde? Ótimo. Impedir que o casal mais aguardado da temporada fique junto? Com certeza! Porque o amor não pode mais esperar.

Esse conto é colocado dentro da série como 1.5, mas na realidade ele acontece em paralelo com o livro 2 – Um Acordo e Nada Mais. Para quem já leu os dois primeiro livros da série, esse pequeno conto é uma delícia de acompanhar.

Desde os 16 anos, Philippa nutre um amor correspondido por Julian Crabbe, mas na época ambos eram muito jovens e imaturos e os pais dela desaprovaram o rapaz completamente. Dois anos depois, ela está exatamente na idade de se casar e Julian está retornando da Cornualha, onde foi capaz de aprender e amadurecer o suficiente para merecer a mão de Philippa.

Porém, tudo pode ir por água abaixo se ele não chegar a tempo de evitar que ela se case com o Visconde. Logo, eles passam por uma corrida contra o tempo, que acaba sendo um tanto quanto divertido de acompanhar. Mas o destaque desse casal é a fofura, eles são absurdamente fofos juntos, desde a paixão quando eram adolescentes, às cartas trocadas quando estavam longe, até a fase em que ele tem autorização para cortejá-la. Um conto super rápido de ler, mas capaz de esbanjar amor, e que dá um complemento legal para a série. 

A Editora Arqueiro enviou o conto impresso durante as primeiras semanas de venda do livro Uma Loucura e Nada Mais como bônus, mas atualmente é difícil de encontrar esses dois juntos para venda. O conto não é vendido nessa versão impressa separadamente, mas você ainda pode comprá-lo no formato e-book. 

Comentários

O blog Sentimento de Leitor disponibiliza o espaço do DISQUS para comentários e discussões dos temas apresentados no site, não se responsabilizando por opiniões, comentários e mensagens dos usuários sejam elas de qualquer natureza. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Compartilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas. Leia aqui os Termos de Uso e Responsabilidade .

A estrutura do site, bem como os textos, os gráficos, as imagens, as fotografias, os sons, os vídeos e as demais aplicações informáticas que os compõem são de propriedade do "Sentimento de Leitor" e são protegidas pela legislação brasileira e internacional referente à propriedade intelectual. Qualquer representação, reprodução, adaptação ou exploração parcial ou total dos conteúdos, marcas e serviços propostos pelo site, por qualquer meio que seja, sem autorização prévia, expressa, disponibilizada e escrita do site, é vedada, podendo-se recorrer às medidas cíveis e penais cabíveis. Leia aqui os Termos de Uso e Responsabilidade .

publicidade

quem escreve?

Mandy Ariani

Olá, eu me chamo Mandy! Sou apaixonada por livros, filmes, mangás e Jane Austen. Se você quer ficar por dentro do universo geek e literário, visite a gente!

colaboradores

publicidade

para te inspirar

Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos. Os homens esqueceram essa verdade, mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.

Antoine de Saint-ExupéryO Pequeno Príncipe, 1943.

os mais lidos do blog

editoras parceiras

2019

resenhas as mais recentes

Instagram@sentimentodeleitor